28 de fevereiro de 2013

Quincas Borba, de Machado de Assis

Resenha participante do Desafio Literário 2013

Há tempos eu adiava a leitura de Quicas Borba, mesmo depois de ter sido presenteado com uma linda edição deste livro por meus queridos amigos Rafael e Camila. De lá para cá, restava-me a lembrança das risadas ao acompanhar o começo da história do humanitista Rubião, fato que me ajudou, pois, a escolher este romance na categoria "livros que nos façam rir" - agora para lê-lo por inteiro.

Não é novidade: o humor de Machado é delicioso pela ironia. "Ao vencedor, as batatas", sim, mas sem deixar de notar que tanto vencedores quanto perdedores são ridículos em suas manobras em busca da sobrevivência, loucos como o filósofo Quincas Borba. Rimos da glória e da desgraça dos personagens sem deixarmos de lembrar que, de um jeito ou de outro, agimos da mesma maneira, cheios de dissimulação e interesse. Rimos por cumplicidade.

Não é à toa, pois, que dizem que Machado inaugurou o "realismo" no Brasil: não apenas o inaugurou, mas o batizou de humanitismo. E digo mais: com escrita invejável, desenhou em seus livros minuciosas caricaturas da realidade. Leitura que vale muito a pena.

---
ASSIS, Machado de. Quincas Borba. [1891] São Paulo: Globo, 2008.

2 comentários:

  1. Ai, como gosto de Machado de Assis! Bela escolha para o desafio!

    ResponderExcluir
  2. Que alegria ver vc participando do Desafio e ainda por cima com um livro que eu te presenteei com o rafa!

    =))))

    ResponderExcluir