Preferência

Preferir não é excluir as demais possibilidades, é apenas ter maior tendência a alguma coisa em relação às outras. Digo isso porque somos diferentes, meu amigo: você prefere os grandes romances, mas eu prefiro os fragmentos literários. E é engraçado porque, no campo amoroso, sempre fui eu o propenso a relacionamentos estáveis e duradouros, enquanto você curte mais a multiplicidade e a fugacidade. Talvez por conta do medo do tédio. E essa diferença pode parecer contraditória, mas prefiro ver uma lógica: é que acho mais fácil me entediar lendo um romance de mil páginas do que lendo mil páginas de fragmentos, assim como me parece bem mais entediante buscar mil e uma experiências com mulheres ao invés de, com apenas uma, viver mil e uma experiências em conjunto. Se essas minhas opções não lhe parecem muito atraentes, talvez seja porque ainda lhe resta conhecer um grande escritor de fragmentos, ou mesmo uma verdadeira companhia. Da minha parte, tenho lutado para um dia ser esse tipo de escritor, bem como tenho buscado todo dia ser esse tipo de companheiro para minha amada. Com todo respeito e satisfação, essa é a minha preferência.

Comentários

  1. A maioria que prefere os grandes livros ou as duradouras paixões é tida como louca. Inveja, pura inveja daqueles que não se entregam.
    Lindo texto, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. "assim como me parece bem mais entediante buscar mil e uma experiências com mulheres ao invés de, com apenas uma, viver mil e uma experiências em conjunto" Que lindo Vinícius!!!
    Eu não consigo em pensar em um relacionamento que não seja duradouro, em iniciar um romance pensando que logo irei querer outro.Sou vm vc: prefiro viver mil e uma experiências com uma única pessoa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Por meio do através

Roi

Promessa