28 de abril de 2012

Paciência e Compreensão

Imaginem que sou uma pessoa pós-moderna: consciente e militante, luto contra os males do mundo e exijo respeito ao ser humano. Daí Fulano, pessoa muito amada, decepciona-me com violência. Diante disso, tenho duas escolhas: ou agir contra Fulano, ou agir contra a violência.

Se escolho a primeira opção, posso tranquilamente descer a porrada no infeliz, já que o problema não é a violência em geral: é a violência de Fulano contra mim. Deixo de lutar contra os males de mundo, lutando apenas contra os males que me fazem. Deixo de exigir respeito ao ser humano, exigindo apenas que me respeitem. Deixo até de amar Fulano, amando só a mim. Enfim, exerço minha paradoxal pós-modernidade, acreditando que o mundo sou eu.

Por outro lado, se escolho a segunda opção, necessariamente preciso agir por outro meio não-violento, frequentemente com paciência e compreensão - as quais, ao contrário do que muitos pensam, são a melhor arma contra as deficiências morais. Compreendo quanto é fácil cair na violência e, em um ato de extrema coragem, resisto à vontade inicial e perdoo a queda alheia. Não acho que o mundo sou eu, mas sei que as falhas e dificuldades das pessoas também são potencialmente as minhas.

Ser paciente e compreensivo não é ser conivente, é apenas saber separar o ato cometido da pessoa cometedora, deixando de criar círculos viciosos. Se alguém é muito violento, ou ignorante, ou falso, ou arrogante, ou tudo isso junto, ou ainda qualquer outra coisa ruim, não preciso - nem devo - gostar dessas atitudes, mas também não posso responder na mesma moeda. Seria paradoxal que alguém aprendesse, por meio de uma arma, que o uso dela não leva a lugar nenhum. O problema é que somos seres essencialmente paradoxais.

23 de abril de 2012

Recém convertida ao time da Vila

Recém convertida ao time da Vila, restava-lhe entender tamanha graça e emoção de, com fervor igual ou maior, torcer contra o rival da capital. Até que lhe expliquei: enquanto o moribundo não cair mais uma vez, os jogos do Peixe não serão televisionados. E assim, como se o mundo de repente fizesse completo sentido, nascia ali mais uma anticorinthiana - animadíssima, aliás, com as perspectivas positivas prenunciadas pela Taça Libertadores da América. Esperta que é, talvez em breve seja tricampeã mundial, tal como seu namorado tricolor, gozando finalmente do pleno conhecimento da arte do futebol.

21 de abril de 2012

Pedacinhos da Felicidade

« Talvez a solução não seja simplesmente incluir um ou dois dias a mais em nosso amado final de semana. Basta que o tempo deixe de passar tão rápido nos raros momentos de menor ocupação. As férias e feriados - pedacinhos da Felicidade - que o digam. »

16 de abril de 2012

A Felicidade do Eremita

« Até a felicidade do eremita depende das outras pessoas: neste caso, da ausência delas. Eis a mais bela verdade imortalizada por Tom Jobim: é impossível ser feliz sozinho. »

14 de abril de 2012

Evolução Espiritual

Evoluir espiritualmente não é abster-se da vida material; é saber conduzi-la racionalmente. A abstenção (do supérfluo) é apenas uma das consequências, não o objetivo em si.