5 de novembro de 2011

Sonhos

Vinícius e Juliana caminhando. Foto de alguma amiga querida.
Quanto aos sonhos, poucos percebem a diferença entre concretizá-los e realizá-los. Concretizar um sonho, para mim, significa saber exatamente o que se deseja. Significa, por exemplo, não apenas sonhar com a "felicidade", mas saber exatamente e minuciosamente o que ela significa para você. Significa saber onde se está, onde se pretende chegar e qual dentre os vários caminhos é o melhor até lá. Realizar um sonho, por sua vez, refere-se ao intervalo entre o caminho e a chegada. Significa todo o processo de alcance daquilo que se deseja. Envolve tanto o caminho quanto a chegada.

A confusão entre os dois verbos ocorre por muitos motivos. Primeiro porque às vezes queremos "realizar nossos sonhos" sem nem sabermos concretamente quais são eles. Não raro isso acontece. É o que chamo de "caminho sem fim": sem pontos de parada, é um caminho aflitivo, que cansa. Devemos evitá-lo. Segundo porque às vezes chegamos a realizar sonhos que nunca sonháramos. Raramente isso acontece. É o que alguns chamam de "sorte": quando assumimos o papel de rumo e a alegria caminha até nós. É maravilhoso quando ocorre, mas é imprudente depender apenas disso. Terceiro porque às vezes, ao mesmo tempo, a concretização e a realização caminham juntas. Não sei com qual frequência isso ocorre, mas suspeito que sejam raros tais casos. É o que chamo, dentre tantas denominações possíveis, de namoro bom. E graças a Deus é o que tenho vivido nestes exatos três anos com a tão doce Juliana, querida companheira de caminhada com quem tenho sido tão alegremente feliz e com quem tenho desejado as tantas novas alegrias que hão de vir e que havemos de alcançar.

Com ela, é verdade, sei que poderemos concretizar sonhos que nunca serão realizados. Mas com ela, principalmente, sei com muita propriedade que poderemos realizar sonhos nunca antes sonhados e, mais do que isso, continuar realizando os tantos sonhos que temos sonhado juntos.

três anos de namoro =-]