11 de setembro de 2010

Contraditório Prazer

Como bom taboanense-paulistano, confesso que sinto um contraditório prazer em estar sufocado de trabalho. Minha louca ocupação é como o ar dessa metrópole, que ao mesmo tempo dá a vida e acaba com a saúde. Minha falta de fôlego é como um combustível: me faz correr ainda mais em busca de um suspiro aliviado, de uma parada para encher o tanque e retomar a estrada poluída. Toda busca por dinheiro custa caro. E em meio a tudo isso, pois, eis minha falta de tempo para o blog, servindo de inspiração, profunda, para eu nele escrever após tanto tempo sem tempo. Mesmo que isso me custe um bocado de tosse e de olhos ardentes.