27 de fevereiro de 2010

Diferente ou Igual

Quadro La reproduction interdite, de René Magritte.
Todos pensavam que eram diferentes, inclusive ele. O fato de ser diferente de todos o assustava, por isso procurava alguém que fosse igual. Ao passar do tempo, porém, descobria que todos eram diferentes. Pior, descobria que a característica de ser diferente é comum a todos. Descobriu que, nisso, todos são iguais. O fato de ser igual a todos o assustou, por isso procurou alguém que fosse diferente. Ao passar do tempo, porém, descobriu que todos são iguais. Todos pensavam que eram diferentes, menos ele. O fato de ser diferente de todos o assustava, por isso...

6 comentários:

  1. Pior, descobria que a característica de ser diferente é comum a todos. Descobriu que, nisso, todos são iguais. O fato de ser igual a todos o assustou, por isso procurou alguém que fosse diferente. Ao passar do tempo, porém, descobriu que todos são iguais.
    Realidade...somos todos diferentes e somos todos iguais, pelo menos em alguma coisa...
    Fabuloso texto!!!

    ResponderExcluir
  2. Ah, estou só de passagem, mas não poderia deixar de comentar. Realmente, um texto fabuloso, amei !
    Diferente, igual a todo mundo! De alguma forma temos algo em comum com o outro.

    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Caro Vinícius Barqueiro,

    Parabéns pela táctica rebuscada com que apresentou a vertente paradoxal da diferença entre personalidades.

    Vou procurar acompanhar este blogue, já que fiquei bem impressionado com ele.

    Saudações,

    Marcelo Melo
    www.3vial.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Lembrei desse seu conto ontem. Voltei aqui só pra reforçar o quanto ele é foda. Parabéns! Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Rs.
    É, meu caro!

    É isso aí mesmo!
    Talvez seja um dos fatores que justificam o aumento da depressão e de outros males psicológicos em tempos tão ricos de estudos sobre a mente humana.
    Freud explica, mas não resolve, pelo menos não tudo!

    Abração!

    ResponderExcluir