26 de janeiro de 2008

A Bolha

Era linda, a bolha.

Refletia-se com seu brilho arqüirisante, fascinal. E os ólhos, sóis da manhã. Flutuava entre os cotidianos, magical. Quê, mistério, complexo. Ao lado, em baixo, baixinho, espionava a sensacional. Sentia o calor dos sóis nos seus, as cores diversas, o brilho, todo o mistério dentro daquilo, bolha. Tremia. Era longe, era ilusão. Espionava-a, quietinho, e sentia borboletas quando um brilho, uma faiscazinha, correspondia. Até parece!

Criou coragem. Era preciso pular muito, mesmo, para alcançá-la. Não por causa dela, que agora se colocava à sua altura, chamando-o inhamente. Ele que colocava-se baixinho, quietinho; era consciente, tadinho. Sabia, se a tocasse, explodiria, oras, como de sabão. Sabia! Assim são as bolhas, de outro mundo, irreais. O encanto partiria.

Tentou, apesar, esperançoso, iludido:

Puf!

Mesmo assim, é, bem, os sóis, nascem toda manhã. É que é tudo dôido, doído, acentuadíssimo. Sorriso de vida, eterno como a esperança permanente, estranha.

Era bolha, a linda. Ou melhor, é, linda, e ele não tentou, não tentará, eu acho. É tudo suposição, e ele, tadinho, é consciente. Silêncio.

4 comentários:

  1. putz, mew, "arqüirisante" é um adjetivo muito bacana!

    ResponderExcluir
  2. Definitivamente sua bolha é mais legal do q "a bolha em pessoa"!
    É, eu entrei em crise com o layout... quse comecei a fazer um com frufrus e tdo mais, porem a ideia é manter a simplicidade e o foco nos posts...
    Qto ao "blasé" me fez ver o qto ele se faz presente na minha vida e tentar mudar isso... guardar meus nervos pra coisas q realmente merecem...
    Qto ao conto, respeito sua opinião!
    Hm, naum sei se esqueci de algo, se lembrar eu volto...
    Ah, saudades amigo...
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. ganhou mas um fan u-u, sei que deve ter muitos mas... otimo texto viu...otimo mesmo...^^

    ResponderExcluir