Postagens

Mostrando postagens de Março, 2007

Canção Excêntrica

Cecília Meireles

Ando à procura de espaço
para o desenho da vida.
Em números me embaraço
e perco sempre a medida.
Se penso encontrar saída,
em vez de abrir um compasso,
Projeto-me num abraço
e gero uma despedida.

Se volto sobre o meu passo,
é já distância perdida.

Meu coração, coisa de aço,
começa a achar um cansaço
esta procura de espaço
para o desenho da vida.
Já por exausta e descrida
não me animo a um breve traço:
- saudosa do que não faço,
- do que faço, arrependida.

Soneto Sobre a Cegueira

Você não pode ver que somos cegos que guiam uns aos outros pelo nada
tapados pela luz de nossos egos
em meio à vil manhã enluarada?

Você não pode ouvir os nossos gritos
que buscam um sentido pela estrada
guiada de verdade e não de mitos
ao fim de uma noite ensolarada?

Você não pode ver, nenhum de nós,
que tão buscada luz às vezes cega
e o sol é refletido em lua triste?

Você não pode ouvir que estamos sós
e a voz de nossa mente a gente nega
em canto à bela Luz, a que existe?